O segredo de um bom casamento

bomcasamento
Tem uma coisa – duas, na verdade – que eu acho fundamentais para se ter um bom casamento (ou qualquer relacionamento longo). Muito se fala nas revistas (que amo ler, rs) sobre jantares românticos, lingerie, viajar sem os filhos e separar um tempo para o casal. Acho que são todas coisas válidas (e divertidas) mas que se forem tratadas como respostas às armadilhas que os relacionamentos muito longos trazem (e é óbvio que trazem várias) tem que ser vistas muito mais como paliativos do que como solução. Nenhum casamento vai se sustentar só disso. As outras coisas de que muito falam os livros sobre relacionamento (que também devoro, ha ha) seriam os valores do casal como a fidelidade, a honestidade, o companheirismo, o que resumindo e colocando com palavras bem variadas, seria o compromisso com aquele compromisso, risos. E sim, também acho que são coisas importantes (até vitais) para que um casamento dê certo, mas também não acho que são elas que deixam a coisa gostosa. Aliás, se houver só isso entre um casal eles podem até arrastar um casamento, mas não acho que ficarão realmente satisfeitos.(Até porque, de uns tempos pra cá as pessoas não se contentam mais em simplesmente seguirem a estrada juntas. Elas querem estar felizes juntas.) Então o que seria essa coisa que deixa um casamento sempre vibrante, gostoso, excitante? Acho que tenho uma resposta pra isso.

Além do amor que você sente pelo outro, acho que o segredo é você continuar interessado… e continuar interessante. Com continuar interessado, quero dizer continuar se interessando genuinamente pela pessoa que está ao seu lado. É você continuar querendo descobrir quem ela é – até porque, ninguém é um projeto pronto. Pessoas estão em constante evolução. É você se interessar tanto por ela a ponto de mesmo sem ter todos os gostos em comum, se interessar um pouquinho pelo universo particular dela. (Como quando eu paro o que estou fazendo pra mandar uma mesnagem com uma notícia de algo da política que acabou de acontecer porque sei que meu marido vai gostar de saber, ou quando procuro saber qual é o último lançamento pra playstation, risos, e ele me pergunta sobre os livros que eu estou lendo ou escrevendo.) Acho que funciona como um espelho. A gente gosta de quem gosta da gente. A gente se interessa por quem está interessado na gente. E óbvio, serve também para evitar que um dia você acorde ao lado de um estranho. A outra parte é a do se manter interessante, que é você se manter vivo, cultivando suas próprias amizades, indo atrás dos seus interesses, crescendo na sua carreira, enfim, tendo sua própria vida e se divertindo com ela. Isso acho que não só tira do outro o peso de ter que ser tudo pra você quanto o mantém te admirando e achando gostoso dividir a vida com você. Acho que quando os dois fazem isso o resultado são duas pessoas bastante felizes, tanto com o relacionamento quanto com elas mesmas. Não é?

SimoneLemosPovoa

TAGS:

0
Compartilhe esse post:
Deixe seu comentário